Lula e o amor ao som português

Há quem se reforme e venha para portugal e há quem seja apaixonado pelo país. Lula alinha pela último filão mas há mais do que isso…
Chama-se Claudia Radbauer e é austríaca. Os seus projectos ostentam um nome nada germânico: Lula e Lula Grelhada! Poderia ter sido um nome de uma produtora de uma cidade atlântica, de Aveiro a Setúbal ou Lisboa, mas não é o caso. É de uma europeia loira e alta, que se enamorou de amores pelo nosso país.

A música é crua, selvagem, enérgica, profunda mas forte, quente, underground, criativa, curtida e doce.

A história remonta a 1997 quando colaborou para um dos clássicos da música de dança portuguesa. “Goosebumps”, o tema que uniu os USL e Danny Tenaglia dentro do projecto trans-atlântico NYLX. Claudia foi a convidada escondida por detrás de Lula Grelhada. Daí começou uma relação apaixonada com Portugal, os portugueses e a música. Viviam-se os loucos anos 90, a música de dança estava no seu auge no nosso país, existiam festas memoráveis, clubs dinâmicos, produção e DJs com o selo da originalidade estampado. O público era fiel e aberto, entusiasta e positivo. O cenário era paradisíaco. Daí até surgir o título que cimentasse a realidade foi um tiro. Dado por um estrangeiro, como é óbvio: “A Paradise Called Portugal”, bradava Rob di Stefano, e logo foi seguido por promotores de festas, público, (poucos) jornalistas e DJs. Foi o norte-americano que deu o título à memória colectiva dos 90. Facilmente se criou um chavão para um ”som português”, que com o passar dos tempos se geminou com o Iberican Sound. No entanto, ainda há revivalistas do som português.

The Underground Sounds Of Portugal And Me” é o álbum de estreia de Lula, provavelmente o mais recente tributo aos anos 90 lusos. “Há muito tempo que queria fazer um álbum com o som português. Adoro este som. Sempre o adorei”, afirma a produtora visivelmente apaixonada. “Desde que o Danny Tenaglia tocava muitas músicas dos USL, The Kult of Krameria, DJ Jiggy, e outros no Twilo que fiquei absorvida por aquela música. Era a maior fã do mundo desse som. É o som português e ponto final. Acho que é do Oceano Atlântico e do clima. A música é crua, selvagem, enérgica, profunda mas forte, quente, underground, criativa, curtida e doce. Mas ao mesmo tempo é extremamente intensa, apaixonante e sexy. Tal como os produtores que a fazem”, termina a austríaca.

Com uma estreia na produção que é um tributo ao som português, Lula leva-nos a uma memória de alguns dos melhores anos das nossas vidas. Quando havia festa pela festa, música pelo amor à música e parecia que tudo era imaculado. Um paraíso. Em Portugal. Longe vão os tempos, mas Lula fez bem em recordar-nos…

A voz de Lula no clássico NYLX “Goosebumps” (Kaos Records)

Kult Records presents “The Underground Sounds Of Portugal And Me”

Texto: Artur Soares da Silva
in Dance Club #133 (Junho 2008)

By Artur Silva