Quarta-feira, Maio 25

Spotify Usa Gosto dos Ouvintes para Personalizar Playlists

Google+ Pinterest LinkedIn Tumblr +

Estamos numa verdadeira revolução da automatização e, apesar de sabermos que já existia um grau de automatismo nas playlists do Spotify, a plataforma de streaming anunciou que vai mesmo usar um algoritmo para seleccionar parte das músicas que entram em algumas das suas playlists editoriais.

É o gosto dos ouvintes o critério de eleição do algoritmo que decidirá parcialmente, por enquanto, que música entra, ou não, nas playlists que o Spotify detém, e são algumas das mais seguidas na plataforma. A consequência desta opção é que não existirá coincidência entre duas playlists, e isto terá impacto na forma como os utilizadores do Spotify descobrem nova música. Esta novidade tem como objectivo, segundo o comunicado do Spotify, melhorar a experiência dos utilizadores e tornar mais fácil aos artistas levar a sua música ao público que, de facto, a apreciará.

O processo desenrola-se em duas partes: além da personalização de acordo com o gosto do ouvinte, o Spotify vai começar a enviar hiperligações costumizadas aos artistas quando as suas músicas são adicionadas a uma playlist para que, quando usadas, coloquem a música em causa no topo da playlist.

A fase de testes desta novidade começou em Setembro de 2018 com o Spotify a adicionar alguns temas seleccionados pelos utilizadores a playlists próprias como a Beast Mode, Chill Hits e Dance Party, esta com mais de 3 milhões de seguidores. Os resultados foram animadores com o Spotify a registar aumentos tanto do lado dos artistas como dos ouvintes, segundo dados da plataforma os ouvintes que receberam versões personalizadas das playlists tiveram uma maior probabilidade de escutar durante mais tempo. Por outro lado, as playlists aumentaram o número de artistas incluídos em 30% e aumentaram em 35% a descoberta de música pelos utilizadores.

Além disto, o Spotify descobriu nesta experiência que depois de encontrar uma canção numa playlist personalizada, o número de ouvintes que depois pesquisa essa mesma canção por si aumentou 80%, e 66% acaba por guardar essa mesma música. São números muito bons tanto para a plataforma como para os artistas.

Os artistas também ganham com a novidade dos URLs personalizados que, ao serem partilhados, dirigem os fãs para a sua música em primeiro lugar na playlist onde foi inserida. Resultado? Mais exposição para a música e para as playlists.

A plataforma está também a direccionar os seus esforços para se tornar uma referência no universo do podcast e anunciou que tem planos para comprar a Parcast, mais uma plataforma de podcasts, após a aquisição da Gimlet Media e da Anchor em Fevereiro passado. Estas são também boas notícias para os artistas que podem encontrar neste meio mais uma forma de divulgar a sua música.

 

Comments

comments

Share.